Provações e sofrimento

Inverno na Alemanha
Inverno na Alemanha

“Isso também passa.”
Conselho de Maria de Nazaré (mãe de Jesus), a Chico Xavier, a ser aplicado tanto aos momentos difíceis quanto aos felizes.
(Relato do jornalista Marcel Souto Maior, em sua obra “As Vidas de Chico Xavier”, da Editora Planeta)

Como já dissemos anteriormente (na série “Os frutos do sofrimento”), todos na Terra sofrem; em formas e intensidades diferentes, o sofrimento chega para todos, sem distinção. Isso é o reflexo da justiça Divina, que destinou este planeta às provas e expiações daqueles que aqui reencarnam para que, um dia, pagos os nossos débitos e conquistada uma parcela de evolução, possamos viver em um mundo melhor, onde há menos sofrimento (“mundo de regeneração”).

“A experiência humana não é uma estação de prazeres.”
Emmanuel

Da mesma forma que a alegria chega e passa, que as vitórias vêm e vão, também o sofrimento encontra um fim. A dor pode demorar apenas um dia ou muitos anos, mas ela terá um final. Deus, como Pai Misericordioso, não permite sofrimento eterno.

Sobre o bem que advém do sofrimento nós conversamos no ano passado (vocês podem conferir neste link). Como dissemos à época,

“Devemos nos lembrar constantemente da Misericórdia de Deus: se Ele nos permite sofrer, podemos ter certeza de que é para o nosso progresso. Confiemos nEle e vivamos melhor, mesmo em meio a grandes provações.

(…)

Fica desta breve conversação o desejo de que ela tenha sido útil e tenha estimulado a reflexão dos leitores, principalmente a respeito do otimismo: quando compreendemos o motivo de sofrermos, o fardo parece mais leve, e a confiança em um Deus justo se fortalece, fazendo com que consigamos seguir em frente.

Amigos, trabalhemos e sigamos em frente, em qualquer situação, com fé e otimismo pois, não importando qual seja o tamanho do sofrimento que vivemos, podemos ter uma certeza: por obra da Misericórdia Divina, ele passará. ”

Que a certeza do caráter temporário do sofrimento possa animar os corações endurecidos pela dor, enchendo-os de fé e esperança. Amanhã continuaremos a nossa série, discutindo a importância de reconhecermos a provisoriedade da nossa posição social, econômica e profissional.

Série completa “É apenas temporário” »

Receber as atualizações deste blog por e-mailEste blog no Twitter (@alunosdeKardec)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s