Defenda-se

“Pensai nas coisas lá do Alto.”

Não converta seus ouvidos num paiol de boatos.
A intriga é uma víbora que se aninhará em sua alma.

Não transforme seus olhos em óculos da maledicência.
As imagens que você corromper viverão corruptas na tela de sua mente.

Não faça de suas mãos lanças para lutar sem proveito.
Use-as na sementeira do bem.

Não menospreze sua faculdades criadoras, centralizando-as nos prazeres fáceis.
Você responderá pelo que fizer delas.

Não condene sua imaginação às excitações permanentes.
Suas criações inferiores atormentarão seu mundo íntimo.

Não conduza seus sentimentos à volúpia de sofrer.
Ensine-os a gozar o prazer de servir.

Não procure o caminho do paraíso, indicando aos outros a estrada para o inferno. A senda para o Céu será construída dentro de você mesmo.

André Luiz – psicografia de Chico Xavier. Do livro “Agenda Cristã” .

Do site Portal do Espírito

***

Queridos amigos, tenham uma abençoada e produtiva semana!

Paz e luz a todos!

Fiquem com Deus e até breve, se Ele quiser,

A Equipe do blog Espiritismo no Cotidiano

Atualizações por e-mailTwitter (@alunosdeKardec)Facebook espírita

Começar outra vez (Maria Dolores/Chico Xavier)

Porque o tempo de refletir, repensar, reajustar e recomeçar é AGORA.

Do site Caminhos de Luz:

comecar-outra-vez-dsc08031

Alma querida, escuta!… Entre os lances do mundo,

Se escorregaste à beira do caminho

E caíste, talvez, em pleno desalinho,

Na sombra que te faz descrer ou desvairar,

Ante a dor que visita, a renovar-te anseios,

Não desprezes pensar! … Levante-te e confia,

Porque a vida te pede, abrindo-te outro dia:

– Começar outra vez, trabalhar, trabalhar!…

***

Ergue-te regressando à estrada justa,

Contempla a terra amiga em derredor,

Vê-la-ás, pormenor em pormenor,

Por mãe que sofra e sangra, a recriar …

Medita na semente à sós, que o lavrador sepulta…

Quando alguém a supõe, humilhada e indefesa,

Ressurge em brilho verde, ouvindo a Natureza:

– Começar outra vez, trabalhar, trabalhar!…

***

Fita o perfurador rasgando as entranhas da gleba;

O homem que o maneja, a golpes persistentes,

Pesquisa, sem cessar, todos os continentes,

Do deserto escaldante aos recessos do mar…

E eis que a lama oleosa, esquecida há milênios,

Trazida à flor do chão, é ouro e combustível,

Que o progresso conclama em ordem de alto nível:

– Começar outra vez, trabalhar, trabalhar!…

***

Toda força lançada em desvalia

Quando erguida, de novo, em apoio de alguém,

Retoma posição no serviço do bem,

Utilidade viva a circular…

Olha a pedra moída, em função do cimento

E o barro que assegura a gestação do trigo,

Falando a todos nós, em tom seguro e amigo:

– Começar outra vez, trabalhar, trabalhar!…

***

Assim também, alma fraterna e boa,

Se caíste em momentos infelizes,

Não te abatas, nem te marginalizes,

Levanta-te e retoma o teu próprio lugar!…

Aceita os grilhões das provas necessárias,

Esquece, age, abençoa, adianta-te e lida,

E escutarás a voz da Lei de Deus na vida:

– Começar outra vez, trabalhar, trabalhar!…

***

Pelo Espírito Maria Dolores . Médium: Francisco Cândido Xavier. Da obra “Vida em Vida”.

Amigos queridos, tenham uma iluminada semana de muita paz, saúde, bênçãos e trabalho no Bem!

Fiquem com Deus e até breve, se Ele quiser.

O que mais sofremos (Albino Teixeira/Chico Xavier)

Do Cantinho do Chico, no Relicário de Luz:

mar-pedras-o-que-mais-sofremos-chico-xavier-dsc08009

O que mais sofremos no mundo –
Não é a dificuldade. É o desânimo em superá-la.
Não é a provação. É o desespero diante do sofrimento.
Não é a doença. É o pavor de recebê-la.
Não é o parente infeliz. É a mágoa de tê-lo na equipe familiar.
Não é o fracasso. É a teimosia de não reconhecer os próprios erros.
Não é a ingratidão. É a incapacidade de amar sem egoísmo.
Não é a própria pequenez. É a revolta contra a superioridade dos outros.
Não é a injúria. É o orgulho ferido.
Não é a tentação. É a volúpia de experimentar-lhe os alvitres.
Não é a velhice do corpo. É a paixão pelas aparências.
Como é fácil de perceber, na solução de qualquer problema, o pior problema é a carga de aflições que criamos, desenvolvemos e sustentamos contra nós.

Espírito: Albino Teixeira
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: “Passos da Vida” – EDIÇÃO IDE

Queridos leitores, tenham um abençoado final de semana!

Fiquem com Deus e até breve, se Ele quiser,

Euzébia Noleto

Atualizações por e-mailTwitter (@alunosdeKardec)Facebook espírita