O talismã divino – e votos de um maravilhoso Natal e um abençoado Ano Novo

talisma-divino-amanhecer-na-estrada-3-dsc00575

Queridos amigos,

Que bênção indescritível estar com vocês por mais um ano! Em 1º de dezembro de 2012, nosso trabalho de conversações fraternas para o nosso crescimento espiritual completou quatro anos.

Com imensa gratidão a Deus, que nos permitiu estar juntos por tanto tempo, agradeço a todos os leitores pela companhia e compreensão de sempre, informando que o blog irá entrar em recesso por algumas semanas.

Aproveito para deixar registrados meus votos de um maravilhoso Natal e um abençoado Ano Novo de muita saúde, alegria e paz para vocês e suas famílias.

Compartilho hoje com vocês uma belíssima mensagem sobre o valor do tempo e como é fundamental que o aproveitemos em atividades no Bem, construindo nossa felicidade futura.

Que o Criador continue a nos iluminar em nossa jornada evolutiva.

Até 2013, se Deus quiser!

Abraços fraternos.

O TALISMÃ DIVINO

Fonte: Portal do Espírito

Entabularam os familiares interessante palestra, acerca das faculdades sublimes de que o Mestre dava testemunho amplo, curando loucos e cegos, quando Isabel, a zelosa genitora de João e Tiago, indagou, sem preâmbulos:

– Senhor, terás contigo algum talismã de cuja virtude possamos desfrutar? Algum objeto mágico que nos possa favorecer?

Jesus pousou na matrona os olhos penetrantes e falou, risonho:

– Realmente, conheço um talismã de maravilhoso poder. Usando-lhe os milagrosos recursos, é possível iniciar a aquisição de todos os dons de Nosso Pai. Oferece a descoberta dos tesouros do amor que resplandecem ao redor de nós, sem que lhes vejamos, de pronto, a grandeza. Descortina o entendimento, onde a desarmonia castiga os corações. Abre a porta às revelações da arte e da ciência. Estende possibilidades de luminosa comunhão com as fontes divinas da vida. Convida à bênção da meditação nas coisas sagradas. Reata relações de companheiros em discordância. Descerra passagens de luz aos espíritos que se demoram nas sombras. Permite abençoadas sementeiras de alegria. Reveste-se de mil oportunidades de paz com todos. Indica vasta rede de trilhos para o trabalho salutar. Revela mil modos de enriquecer a vida que vivemos. Facilita o acesso da alma ao pensamento dos grandes mestres. Dá comunicações com os mananciais celestes da intuição.

– Que mais? – disse o Senhor, imprimindo ênfase à pergunta. E após sorrir, complacente, continuou:

– Sem esse divino talismã, é impossível começar qualquer obra de luz e paz na Terra. Os olhos dos ouvintes permutavam expressões de assombro, quando a esposa de Zebedeu inquiriu, espantada:

– Mestre, onde poderemos adquirir semelhante bênção? Dize-nos. Precisamos desse acumulador de felicidade.

O Cristo, então, acrescentou, bem-humorado:

– Esse bendito talismã, Isabel, é propriedade comum a todos. É “a hora que estamos atravessando”… Cada minuto de nossa alma permanece revestido de prodigioso poder oculto, quando sabemos usá-lo no Infinito Bem, porque toda grandeza e toda decadência, toda vitória e toda ruína são iniciadas com a colaboração do dia.

E diante da perplexidade de todos, rematou:

– O tempo é o divino talismã que devemos aproveitar.

Neio Lúcio
Da obra “Jesus no Lar”. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Editora FEB.

Anúncios

Nós, os “outdoors”

outdoor-port

A Doutrina Espírita Cristã consola e esclarece, respondendo a perguntas que, não fosse pelo Espiritismo, não teriam resposta lógica e coerente. Em virtude disso, há um número cada vez maior de pessoas declarando-se espíritas.

Como nos ensina o Evangelho Segundo o Espiritismo, ser verdadeiramente espírita é sinônimo de ser cristão. Portanto, todos nós que nos consideramos espíritas temos total consciência da forma como devemos agir perante a vida.

Quando agimos conforme os ensinamentos de Cristo, não construímos apenas a alegria da consciência tranqüila. Prestamos também um grande serviço: divulgar a Doutrina.

Divulgar a Doutrina através do exemplo de conduta é uma tarefa importantíssima, confiada a todos os espíritas, e ainda é muito pouco a se fazer em troca da luz que o Espiritismo traz à vida de todos os que o adotam como guia.

Assim, estudar incessantemente e refletir a cada atitude são deveres dos quais não devemos nos escusar. Há irmãos que ainda não conhecem o Espiritismo ou que possuem idéias pré-concebidas a respeito dele, e que muito são esclarecidos pelo exemplo dos espíritas que agem como verdadeiros cristãos, conseguindo, com atitudes simples, derrubar preconceitos e iluminar caminhos.

Tal como “outdoors”, somos todos propagadores da Doutrina que professamos, através de nosso comportamento, que é observado por todos da sociedade, espíritas e não-espíritas. Meditemos acerca da responsabilidade aí envolvida, e busquemos cumprir esse dever com alegria, do melhor modo possível.

Até breve! Paz e luz!

[Texto dos nossos arquivos]

Imagem: http://www.americansforthearts.org

Informativo Divulgação Espírita – Dezembro 2012 – nº. 48

[Prezados leitores, mesmo quem já recebia nosso informativo por e-mail precisa efetuar novo cadastro, caso tenha interesse em continuar recebendo. As razões explico aqui. Obrigada pela compreensão.]

Para cadastrar-se e receber os informativos mensalmente em seu e-mail, clique aqui »

Para ler os informativos anteriores, clique aqui »

ESPIRITUALIDADE NO COTIDIANO

nº. 48 – Dezembro 2012

Boletim informativo destinado aos leitores registrados no site www.euzebianoleto.com.brDivulgação Espírita

Endereço alternativo: http://euzebia.wordpress.com

Doutrina Espírita Cristã –   Culto Cristão no Lar As Obras Básicas

“Triste o clima da criatura
Que no medo se encastela;
Só venceu a tempestade
Quem lutou, passando nela.”

Oscar Batista

***

“Não lembres o tempo triste
Que viveste a céu cinzento,
O passado só existe
Em função de ensinamento.”

Deraldo Neville

***

“És filho de Deus, cujo amor inunda o universo e se encontra presente nas fibras mais íntimas do teu ser.

Por isso, nada te deve atemorizar ou afligir demasiadamente.”

Joanna de Ângelis

Queridos amigos,

Para encerrar bem nossas reflexões do ano, a mensagem do presente informativo trata a respeito da paz. Fala-se tanto em pacificação das famílias, das cidades, do mundo, mas tão pouco se fala sobre a pacificação do indivíduo, indispensável para que haja paz em maior escala.

Utilizemos esta oportunidade para refletirmos a respeito do ano que está terminando e de nossas vidas até o momento: temos efetivamente cultivado a paz? Nossos esforços pela paz em nosso íntimo e em nosso círculo de convivência são reais ou a paz tornou-se, para nós, apenas um belo conceito que não agimos para conquistar?

As respostas a essas perguntas são muito simples de serem encontradas, em simples auto-análise, já que nossa consciência nos apontar-las-á prontamente. A partir dessas respostas, poderemos traçar nossos planos de melhora pessoal a serem colocados em prática urgentemente: não esperar pelo ano seguinte, nem pela mudança dos outros, nem por algum acontecimento especial. Nosso momento de mudança é agora.

Passemos à leitura, portanto, desta belíssima mensagem de Emmanuel, psicografada por Chico Xavier:

TENHAMOS PAZ

“Tende paz entre vós.” – Paulo. (I Tessalonicenses, 5:13).

Se não é possível respirar num clima de paz perfeita, entre as criaturas, em face da ignorância e da belicosidade que predominam na estrada humana, é razoável procure o aprendiz a serenidade interior, diante dos conflitos que buscam envolvê-lo a cada instante.

Cada mente encarnada constitui extenso núcleo de governo espiritual, subordinado agora a justas limitações, servido por várias potências, traduzidas nos sentidos e percepções.

Quando todos os centros individuais de poder estiverem dominados em si mesmos, com ampla movimentação no rumo do legítimo bem então a guerra será banida do Planeta.

Para isso, porém, é necessário que os irmãos em humanidade, mais velhos na experiência e no conhecimento, aprendam a ter paz consigo.

Educar a visão, a audição, o gosto e os ímpetos representa base primordial do pacifismo edificante.

Geralmente, ouvimos, vemos e sentimos, conforme nossas inclinações e não segundo a realidade essencial.

Registramos certas informações, longe da boa intenção em que foram inicialmente vazadas, e, sim, de acordo com as nossas perturbações internas. Anotamos situações e paisagens com a luz ou com a treva que nos absorvem a inteligência. Sentimos com a reflexão ou com o caos que instalamos no próprio entendimento.

Eis porque, quanto nos seja possível, façamos serenidade em torno de nossos passos, ante os conflitos da esfera em que nos achamos.

Sem calma, é impossível observar e trabalhar para o bem.

Sem paz, dentro de nós, jamais alcançaremos os círculos da paz verdadeira.

Emmanuel. Psicografia de Chico Xavier.
Do site “O Espiritismo“.

Tomemos consciência de que, ao nos pacificarmos, estamos garantindo a nossa alegria no presente e plantando as sementes da nossa felicidade futura.

Desejando que esta conversa fraterna possa nos inclinar à reflexão e ao aperfeiçoamento, e agradecendo a Deus por mais esta oportunidade de crescermos juntos, deixo meus votos de paz, saúde e luz a todos vocês e suas famílias.

Até breve, se Deus quiser,

Euzébia Noleto

Acesso rápido:

Twitter do blog |    Facebook do blog |    Artigo desta Semana |  Vídeos |   Áudio |

Estudos Doutrinários |     Papéis de Parede |    Fale Conosco |    Blog Meditando |

***

Boletim mensal Espiritualidade no Cotidiano

Ano IV – Número 48 – DEZEMBRO 2012

Espiritualidade no Cotidiano é uma publicação mensal destinada aos leitores registrados no site www.euzebianoleto.com.br.

Agradecemos sua visita ao site. Paz e luz!

O socorro de Deus está chegando

“Sempre que aflições te visitem na forma de enfermidade ou tristeza, humilhação ou penúria, perseguição ou tentação, prejuízo ou desastre, não te rendas às sugestões de rebeldia ou desalento. Trabalha e espera, entre o prazer de servir e a felicidade de confiar, recordando que, se procuras pelo socorro de Deus, o socorro de Deus também te procura. E se a tranqüilidade parece tardar, porque privações e provações se multipliquem, persevera com o trabalho e com a esperança, lembrando-te de que a lei do bem opera sempre e de que o amparo de Deus está oculto ou vem vindo.”

Emmanuel (espírito) / psicografia de Chico Xavier.
Do site “O Espiritismo“.