Sem adversários

“Se crês em Deus, nunca te perderás no labirinto da revolta ou da desesperação, ante golpes e injúrias que se te projetem na estrada, porquanto interpretarás ofensores e delinquentes, na condição de infelizes, muito mais necessitados de bondade e proteção que de fel e censura.

Se crês em Deus, jornadearás na Terra sem adversários, de vez que, por mais que se multipliquem na senda aqueles que te agridam ou menosprezam, aceitarás inimigos e opositores, à conta de irmãos nossos, situados em diferentes pontos de vista.”

Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Da obra “Coragem”, editora FEB. 

Anúncios

Não desanime

Queridos amigos,

Espero que todos tenham tido um feriado de paz e alegria.

Compartilho com vocês a mensagem a seguir como uma dose de ânimo para o retorno ao trabalho e às lutas do cotidiano.

Paz e luz!

Abraços fraternos,

A Equipe do blog Espiritismo no Cotidiano

Quando você se observar, à beira do desânimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.

Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.

Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.

Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de idéias.

Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.

Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.

Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.

Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.

Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.

Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.

André Luiz. Psicografia de Chico Xavier.
Do site “Mensagem Espírita“.

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Adversários

adversarios

É natural que você faça invejosos, mas não inimigos.

André Luiz

Queridos amigos,

O alerta de André Luiz sobre invejosos e inimigos que reproduzi acima é muito pertinente. É natural a existência daqueles que ainda sentem inveja e, com isso, veem no próximo um antagonista.

Porém, os inimigos normalmente surgem da nossa própria falta de tato, da nossa falta de preparo cristão para lidar com os invejosos.

Assim, vejamos, na mensagem a seguir, qual o modo cristão de lidar com aqueles que ainda preferem a angústia e a inquietação constante da inimizade às alegrias do companheirismo e auxílio mútuo.

Tenham uma maravilhosa e abençoada semana!

Até breve, se Deus quiser!

Abraços fraternos,

A Equipe do blog Espiritismo no Cotidiano

Antagonistas

O adversário em quem você julga encontrar um modelo de perversidade talvez seja apenas um doente necessitado de compreensão.

Reconhecemos o fato de que, muitas vezes, a pessoa se nos torna indigna simplesmente por não nos adotar os pontos de vista.

Nunca despreze o opositor, por mais ínfimo que pareça.

Respeitamos o inimigo, porque é possível seja ele portador de verdades que ainda desconhecemos, até mesmo em relação a nós.

Se alguém feriu a você, perdoe imediatamente, frustrando o mal no nascedouro.

A crítica dos outros só poderá trazer-lhe prejuízo se você consentir.

A melhor maneira de aprender a desculpar os erros alheios é reconhecer que também somos humanos, capazes de errar talvez ainda mais desastradamente que os outros.

O adversário, antes de tudo, deve ser entendido por irmão que se caracteriza por opiniões diferentes das nossas.

Deixe os outros viverem a sua própria vida e eles deixarão você viver a existência de sua própria escolha.

Quanto mais avança, a ciência médica mais compreende que o ódio em forma de vingança, condenação, ressentimento, inveja ou hostilidade está na raiz de numerosas doenças e que o único remédio eficaz contra semelhantes calamidades da alma é o específico do perdão no veículo do amor.

André Luiz. Psicografia de Chico Xavier.

Do site “Caminhos de Luz“.

Receita de Alegria

receita de alegria

Queridos amigos,

A “Receita de Alegria” a seguir reproduzida não é novidade em nosso blog, mas vale a pena ser repetida. A alegria é o combustível que nos permite ir além do cansaço do dia a dia e trabalhar cada vez mais e melhor, enriquecendo nossas vidas com serviço efetivamente útil.

É uma imensa alegria estar com vocês mais uma vez!

Desejo uma iluminada semana a vocês e suas famílias!

Abraços fraternos.

Receita de Alegria

Algumas receitas de alegria para qualquer ocasião:

1 – Apoiar os empreendimentos de auxílio à Humanidade, em particular àqueles que ainda não se encontram acessíveis ao entendimento geral.

2 – Garantir o trabalho das instituições de benemerência.

3 – Diminuir as necessidades materiais dos companheiros em provação ou penúria.

4 – Resolver o problema pecuniário de algum pai de família ou de mães sofredoras largadas em abandono.

5 – Resgatar os compromissos imediatos de algum doente em situação de infortúnio.

6 – Visitar os obsidiados e socorrê-los, principalmente os mais esquecidos.

7 – Oferecer um lanche fraterno ou alguns momentos de felicidade aos irmãos internados em casas de reeducação ou recolhidos a organizações assistenciais.

8 – Atenuar as privações das crianças desprotegidas, quando não pudermos suprimir de todo semelhantes dificuldades.

9 – Distribuir páginas edificantes, favorecendo a esperança e o consolo, o esclarecimento e a compreensão entre as criaturas.

10 – Tanto quanto se nos faça possível, efetuarmos demonstrações de tolerância e humildade, perante aqueles com quem ainda não nos harmonizamos, no caminho da vida, notadamente aqueles que nos sejam menos simpáticos ou que se nos erigem na estrada em motivos de preocupação.

MODO DE USAR: Refletir nas bençãos que recebemos, incessantemente, do Amor Ilimitado do Cristo; assumir a iniciativa do Bem; agir em silêncio, e atender às prestações de serviço, com tanta discrição e naturalidade, que os beneficiários não estejam constrangidos a nos testemunhar o menor agradecimento.

Albino Teixeira. Psicografia de Chico Xavier.
Do site “Caminhos de Luz“.

Irmãos solitários

joli espiritismo no cotidiano irmaos solitarios

Pensa nos companheiros
Presos à solidão.

Muita gente se fecha
A fim de mostrar-se.

Outro busca esconder
Os fardos que carrega.

Alguns são agressivos
Para não serem vistos.

Ajuda quanto possas,
Aos irmãos solitários.

Ninguém encontra a sós
A estrada para Deus.

Emmanuel. Psicografia de Chico Xavier.
Do lindo blog (e um dos meus favoritos) *RELIGARE* .

Contrastes

Existe tanta dor desconhecida
Ferindo as almas pelo mundo em fora,
Tanto amargor de espírito que chora
Em cansaços nas lutas pela vida;

E há também os reflexos da aurora
De ventura, que torna a alma florida,
A alegria fulgente e estremecida,
Aureolada de luz confortadora.

Há, porém, tanta dor em demasia,
Sobrepujando instantes de alegria,
Tal desalento e tantas desventuras,

Que o coração dormente, a pleno gozo,
Deve fugir das horas de repouso,
Minorando as alheias amarguras.

Auta de Souza. Psicografia de Chico Xavier.
Do site “Caminhos de Luz“.

Agressividade, por Divaldo Franco (vídeo)

aprendendo-com-divaldo

Queridos amigos,

A agressividade é uma doença? Qual a sua origem? A agressividade produz doenças? A seguinte palestra de Divaldo Franco esclarece a respeito de ódio oculto e silencioso, inveja, frustração, a relação entre sarcasmo e psicopatia, fúria, a intoxicação causada pela agressividade que culmina na autodestruição e diversos outros temas extremamente relevantes nos dias atuais.

Que esta seja uma semana de muita saúde, paz, alegria e harmonia a vocês e suas famílias!

Paz e luz a todos!

Abraços fraternos,

A Equipe do blog Espiritismo no Cotidiano

Todas as palestras da série especial “Aprendendo com Divaldo” »

[blog_subscription_form

Independência Espírita

Albino Teixeira. Psicografia de Chico Xavier. Mensagem do site “Caminhos de Luz“.

O espírita, em verdade, pode e deve:

Estimular as boas obras, mas saber com que meios;

Ler de tudo, mas saber para que;

Andar em qualquer parte, mas saber para onde;

Cooperar no bem de todos, mas saber com quem convive;

Prosperar, mas saber de que modo;

Guardar a fé, mas saber porquê;

Agir quanto deseje, mas saber o que faz;

Falar o que queira, mas saber o que faz;

Lutar corajosamente, mas saber com que fim;

Elevar-se, mas saber como;

O espírita pensa livremente, mas precisa discernir.

Admiração e inveja

fred-admiracao-20140527_123306

Por Ermance Dufaux. Do site Caminhos de Luz.

Admirar os valores e as conquistas alheias é um feliz ato de solidariedade e altruísmo.

Nesse tema, quando você for tomado pela inveja, não se assuste nem se entristeça.

Eis sua grande ocasião de mergulhar no desconhecido mundo de si mesmo e descobrir quais as razões que o levam a se sentir inferiorizado ou insatisfeito ante o êxito dos outros.

Penetre em sua intimidade e pacifique-se.

Você aprenderá com o tempo a sua auto admiração, pela gloriosa descoberta de seus dons Divinos; então compreenderá que se encantar com os sucessos alheios será sempre um estímulo para melhor perceber suas próprias riquezas ainda desconhecidas.

A tentação do repouso

Meimei. Psicografia de Chico Xavier. Do site “O Espiritismo

Num campo de lavoura, grande quantidade de vermes desejava destruir um velho arado de madeira, muito trabalhador, que lhes perturbava os planos e, em razão disso, certa ocasião se reuniram ao redor dele e começaram a dizer:

– Por que não cuidas de ti? Estás doente e cansado…

– Afinal, todos nós precisamos de algum repouso…

– Liberta-te do jugo terrível do lavrador!

– Pobre máquina! A quantos martírios te submetes!…

O arado escutou… escutou… e acabou acreditando.

Ele, que era tão corajoso, que nem sentia o mais leve incômodo nas mais duras obrigações, começou a queixar-se do frio da chuva, do calor do Sol, da aspereza das pedras e da umidade do chão.

Tanto clamou e chorou, implorando descanso, que o antigo companheiro concedeu-lhe alguns dias de folga, a um canto do milharal.

Quando os vermes o viram parado, aproximaram-se em massa, atacando-o sem compaixão.

Em poucos dias, apodreceram-no, crivando-o de manchas, de feridas e de buracos.

O arado gemia e suspirava pelo socorro do lavrador, sonhando com o regresso às tarefas alegres e iluminadas do campo …

Mas, era tarde.

Quando o prestimoso amigo voltou para utilizá-lo, era simplesmente um traste inútil.

A história do arado é um aviso para nós todos.

A tentação do repouso é das mais perigosas, porque, depois da ignorância, a preguiça é a fonte escura de todos os males.

Jamais olvidemos que o trabalho é o dom divino que Deus nos confiou para a defesa de nossa alegria e para a conservação de nossa própria saúde.